• PWR Marketing Digital

LGPD e tráfego pago: o que muda na hora de criar anúncios?

Atualizado: Nov 17



Sem dúvidas, a LGPD vai transformar o marketing digital.

Como a nova lei de proteção de dados pessoais entrou em vigor, as práticas de captação, uso e compartilhamento de dados precisam ser revistas, o que resulta em mudanças e até impedimentos para a publicidade.


Seria o fim dos anúncios personalizados? A resposta é não, mas podemos afirmar que os cuidados devem ser redobrados. Por isso, nesta publicação vamos esclarecer as principais mudanças vindas com a LGPD e o que todo anunciante deve ter em mente na hora de rodar suas campanhas em redes sociais e no Google.


A nova lei brasileira de proteção de dados impacta nas estratégias de marketing de maneira geral.

Porém, há uma influência ainda maior da LGPD na publicidade personalizada, gerando muitas dúvidas para os anunciantes sobre o que é permitido e o que não se pode fazer. Confira a seguir as principais mudanças e diretrizes para sua marca anunciar em conformidade com a LGPD.


A importância da LGPD para a publicidade

Em um primeiro momento, pode parecer que o assunto LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) está mais ligado ao universo do direito e da tecnologia. Porém, ele tem total relação com a publicidade, na medida em que os dados coletados estejam sendo usados para traçar campanhas de marcas. Toda marca quer criar materiais relevantes ao seu público - essa é a premissa do marketing de conteúdo, considerada uma das estratégias mais eficazes atualmente. E para que a mensagem certa chegue aos usuários desejados, muitas vezes a publicidade faz uso de seus dados pessoais. Agora essa história vai mudar um pouco.


Com a LGPD em vigor, fica proibido coletar e usar informações pessoais em campanhas de marketing sem autorização dos titulares. Além do mais, a nova lei proíbe a venda ou o compartilhamento de dados para terceiros sem que haja um acordo de consentimento.

Não estamos dizendo que a nova lei inviabiliza os anúncios personalizados, mas ela obriga que as marcas façam isso de maneira cuidadosa, ética e eficiente. É preciso garantir a integridade dos dados pessoais, caso contrário a empresa está sujeita a severas multas e restrições.


Revendo métodos de coleta e tratamento de dados

Agora que ficou bem explícita a importância da nova lei para as campanhas de marketing, é hora de ver como ficam as mudanças na prática. Antes de tudo é preciso segmentar a base de dados, solicitando o mínimo de dados necessários e eliminando tudo o que não esteja sendo usado para uma finalidade específica autorizada pelos titulares.

Agora falando sobre os métodos que a empresa usa para coletar e gerir dados de seus consumidores, é imprescindível que ela garanta transparência no tratamento de dados, deixando claro todos os dados que estão sendo armazenados e com qual finalidade serão usados, dando a oportunidade do usuário recusar a coleta. Ressaltando que a nova lei permite que os usuários acessem e até mesmo excluam seus dados da base das empresas em qualquer momento que desejarem.


Como criar anúncios em conformidade com a LGPD

Tudo o que abordamos nos tópicos acima tem relação direta com a criação de anúncios patrocinados. Se em algum momento do processo de coleta e tratamento de dados as obrigatoriedades da LGPD não são atendidas é preciso rever os métodos, principalmente no que diz respeito às estratégias de marketing digital que vamos citar abaixo.

- Política de privacidade Para deixar tudo mais claro para o usurário, deve ser criada uma política de privacidade no website da marca, disponibilizando inclusive o contato com o oficial de proteção de dados.

- Consentimento

As caixas de seleção pré-marcadas, chamadas de opt-in, devem ser substituídas por formulários mais abrangentes para obtenção de consentimento de coleta e tratamento de dados. O termo de aceite deve estar disponível em toda peça que recolha dados, como landing pages, assinaturas de newsletter ou qualquer outro formulário que solicite algum dado pessoal do usuário. Nele também deve estar justificado claramente o objetivo da coleta.

- Remarketing Estratégias que permitam que seus anúncios apareçam mais de uma vez para usuários que demostraram interesse em seu produto costumam apresentar ótimos resultados de conversão. A LGPD não proíbe esta prática, mas amplia as exigências para oferecer maior controle dos dados ao usuário.

Geralmente o remarketing é feito com o envio de e-mail marketing e agora toda peça obrigatoriamente deve conter a confirmação demonstrando que o usuário aceitou receber o conteúdo.

- Uso de cookies

A marca que anuncia é responsável pelo controle no tratamento de dados coletados tanto em sua página quanto na página para onde seu anúncio é direcionado. Por isso, quando são utilizadas campanhas com anúncio que leve para alguma página que capture seus dados é preciso que seja gravado um cookie no navegador do usuário, informando que seu site utiliza este tipo de recurso e recolhendo o seu consentimento.

Em caso de vazamento de dados, a empresa é obrigada a notificar os usuários afetados.

- Ferramentas de estatística, analytics e heatmaps


O inbound marketing utiliza várias ferramentas de mensuração de resultados. Tudo bem, isso vai continuar, mas com a LGPD a marca terá que informar o usuário que seu site ou aplicativo está coletando dados para finalidade de estatística e obter seu consentimento. Isso pode ser feito com a inserção de um aviso na entrada de sua página.

- Anúncios nas redes sociais e Google Ads

A plataforma de anúncio também assume responsabilidade no tratamento dos dados, por isso ela tem o direito de barrar anúncios que não estejam em conformidade com as suas políticas orientadas pela GRPD (regulamento europeu de proteção de dados) e por critérios próprios. Bons exemplos disso são as políticas de publicidade do Facebook e as orientações do Google para ajudar os anunciantes a obedecerem às leis de proteção de dados.

Como vimos, a LGPD não impede o uso de dados para finalidades comerciais, mas oferece um controle maior ao usuário. E para que as marcas se adequem tanto à nova lei como às novas exigências do consumidor, o mais indicado é contar com o auxílio de uma empresa especializada. Afinal, é a reputação de sua marca que está em jogo. A PWR Marketing Digital está à frente do mercado e se preparou bem para este momento. Somos uma agência especializada em LGPD e estamos prontos para te atender.

Entre em contato e vamos criar campanhas que sigam todas as boas práticas de proteção dos dados e tragam excelentes resultados para sua marca.


Política de Privacidade

© 2020 - PWR Marketing Digital - CNPJ 30.087.582/0001-56

 Todos os direitos reservados